ÁLCOOL X MUSCULAÇÃO

Imagem

 

Oie galera já um tempinho venho procurando um esclarecimento sobre isso e quem melhor pra fazer isso se não Dani Tâmega, que pra quem não a conhece é personal trainer  e já participou de alguns campeonatos.

ALCOOL X MUSCULAÇÃO

           Sempre aos finais de semana, festinhas, ocasiões especiais, algumas vezes até durante a semana. Nestas oportunidades muita gente não abre mão da bebida alcoólica de jeito nenhum. Mesmo sabendo que algum prejuízo está sendo causado no organismo pela ingestão exagerada de álcool, a maioria das pessoas só se dão conta do prejuízo quando ele já apareceu como doenças no fígado, sistema digestivo e coração, assim como perda de apetite e deficiências vitamínicas.
           Como nosso foco é a musculação, decidi escrever sobre o tema para mostrar como a administração do álcool pode atrapalhar os objetivos e mais ainda uma hipertrofia, vamos mostrar que acontece com o nosso corpo quando ingerimos umas e outras.
 
 
            Em um estudo feito com oito homens saudáveis demonstrou que depois de consumir álcool, houve uma queda significante da testosterona e um aumento no cortisol (hormônio que destrói tecido muscular), com o organismo desses indivíduos ficando neste estado por mais de 24 horas.
 
 
            Teses e estudos recentes comprovam que o álcool é hiper-estrogênico, ou seja, nas mulheres, faz seu fígado produzir muito hormônio feminino (estradiol/estrona), e nos homens, esse efeito silencioso é refletido na inibição dos receptores da testosterona no tecido muscular e hipotálamo. Em nós machos, os danos são ainda mais graves. Para quem treina de forma intensa, a fibra somente fica “inchada”, a força não vem, a fadiga e a agressividade aumentam, libido e ereção diminuem cada vez mais com umas pingas (álcool).
 
 
            No Sistema nervoso, o álcool atua comprometendo uma série de funções motoras e cognitivas. Dentre os efeitos conhecidos, está o aumento do tempo de reação e a piora da coordenação motora. Além disso, é consistentemente comprovado que o consumo habitual de álcool é inversamente proporcional ao desempenho intelectual (Singleton, 2007). Também se deve ressaltar que o metabolismo do álcool produz estresse oxidativo, com liberação de radicais livres (Dey & Cederbaum, 2006; Colome Pavon et al., 2003; Albano et al., 1988).
 
 
            Depois de ingerido, a maior parte do álcool é absorvida pelo intestino delgado (80%) e estômago (20%), e é rapidamente distribuído pelo corpo devido à sua alta solubilidade em água, se concentrando especialmente no sangue e no cérebro. Quando não há alimentos sendo digeridos, a velocidade de absorção do álcool aumenta expressivamente devido à alta velocidade de esvaziamento gástrico, portanto, a ingestão de álcool com estomago vazio leva a picos mais rápidos e mais intensos de álcool no sangue, conforme percebemos muito bem isso na prática.
 
            Mais um fator que também aumenta a velocidade de absorção é a temperatura, bebidas quentes promovem um pico sangüíneo mais rápido. Apesar da absorção e aparecimento de álcool no sangue serem influenciados por diversos fatores, deve-se ressaltar que a velocidade de eliminação do álcool é invariavelmente mais lenta do que a velocidade de absorção. Estima-se que a eliminação do álcool ocorra em uma taxa de 0,1 g por kg de massa corporal para homens e 0,085 para mulheres (Weineck, 2000). Isto significa que um homem de 70 quilos é capaz de eliminar a quantidade de álcool contida em duas latas de cerveja a cada hora.
 
 
            Quando você consome uma quantidade elevada de álcool, isso faz com que o seu fígado fique ocupado a todo tempo convertendo o álcool em acetato e qualquer vitamina ou mineral que passar pelo fígado vai ser eliminado pelo processo de desintoxicação. Ele interfere no metabolismo da maioria das vitaminas, e com a absorção de vários nutrientes. Estimula a excreção de cálcio e magnésio pela urina. (Você vai urinar estes importantes nutrientes). E como se não fosse suficiente a comida no estômago ainda irá competir com o álcool pela absorção na corrente sanguínea.
 
 
            Um efeito colateral comum da bebida alcoólica é o efeito diurético, principalmente a cerveja. Você vai sentir vontade de ir ao banheiro toda hora, saiba que você está urinando os líquidos que são essenciais ao seu corpo e não uma urina normal. E você deve saber que o nosso corpo (principalmente os músculos) são constituídos por 70% de água.
 
 
Comparativo Calórico
· 1 grama de proteína = 4 calorias;
· 1 grama de carboidrato = 4 calorias;
· 1 grama de álcool = 7 calorias;
· 1 grama de gordura = 9 calorias.
 
 
            Observa-se que o álcool só perde, em quantidade calórica, para as gorduras. Geralmente, as pessoas cortam os alimentos gordurosos quando estão em dieta, mais ainda sim, mantém a “sagrada” bebida no final de semana.  E ainda existem aqueles que comem menos com medo de ganhar peso e mesmo assim mantém o consumo de bebida alcoólica, o que é um grande erro. A verdade é que as pessoas temem a comida, mas não da mesma maneira o álcool. Muitos trocam a comida pela bebida, comem menos e bebem mais, e não entendem porque não conseguem emagrecer, já que quase não comem. É uma seqüência absurda de erros cometidos que acabam comprometendo o bom funcionamento do organismo, a saúde e a obtenção de resultados concretos em seus objetivos.
 
 
            Sabemos que a característica somatotipológica de cada indivíduo fará ter um desempenho melhor ou não na composição corporal, como por exemplo, um indivíduo que apresenta uma característica mesomórfica (predominância de massa muscular, um individuo corpulento) apresentará mais facilidade para hipertrofia e lipólise do que um indivíduo que apresenta uma característica endomórfica (aquele que tem uma maior gordura corporal na região abdominal), há ainda os ectoformos, que são aqueles indivíduos mais longilíneos. Mesmo uns tendo resultados mais rápidos que outros, devemos sempre fazer com que fatores como bom treino e dieta rigorosa, estejam sempre ao nosso lado maximizando a hipertrofia e emagrecimento. Não administre o álcool de forma negligente! Portanto antes daquele “chopinho” pense melhor quando encher a cara!
 
 
Resumindo, os efeitos do álcool no organismo são: 
· Diminui os níveis de testosterona (hormônio anabólico);
· Aumenta os níveis de cortisol (hormônio catabólico);
· Diminui a síntese protéica;
· Compromete uma série de funções motoras e cognitivas;
· Causa desordem no sono;
· Diminui a absorção de vitaminas e minerais;
· Causa desidratação; 
 
 
Autor: Melquisedek S. Diniz
Co autoria: Alexandry Mangueira
 
 
ALGUEM AI AINDA VAI QUERER TOMAR AQUELE CHOP FINAL DE SEMANA??? ACHO QUE NÃO EIN MAROMBAS!!!!!!

3 pensamentos sobre “ÁLCOOL X MUSCULAÇÃO

  1. Exagero.
    Só beber com moderação bebidas fracas.
    Não vou dar uma de anti-social por causa da musculação.
    Até mesmo fisiculturistas profissionais tem vida social e tem gente aí se isolando falando que não sai fim de semana para não catapolizar, sendo que musculação para eles é esporte e hobby, não são fisiculturistas profissionais.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s